Rolos de Mexilhão com Chutney de Pêssego/Limão

Ingredientes(fazem 10 rolos)

10 folhas de arroz

250gr de mexilhão fresco ou descongelado

1 folha de alga kelp seca

Chutney depêssego e limão

Sal q.b

Opcional: óleo de Palma, sumo de meia laranja média e casca de limão raspada

 

Nota: O arroz branco é tecnicamente um cereal e como tal é excluído pela maioria dos que seguem um regime ancetral/paleo. No entanto, os compostos problemáticos residem na casca do arroz que é descartada, deixando apenas o bago que não é mais que glucose e uns poucos nutrientes. Para lá destas considerações, uma larga fatia da população asiática consome arroz branco sem aparentes efeitos deletérios nos marcadores de Saúde. Como sou um indiviudo fisicamente activo, sem problemas metabólicos como desregulação insulinémica, excesso de peso ou peso a menos, consumo arroz moderadamente.Pprodutos derivados de arroz branco(noodles ou pho) como os rolos são uma fonte baixa em hidratos de carbono e toxinas, e francamente uteis para variar a dieta.

1. Para esta versão utilizei miolo de mexilhão congelado de pesca. Descongelei ao natural e cozi em água por 5-10minutos, com flor de sal de Aveiro, rico em Iodo.Não descarte a água no final do processo de cozedura, irá ser muito útil.

2. As folhas de arroz vendem-se em várias tamanhos, no entanto as que consumo são relativamente pequenas, cerca de 10cm de diâmetro. Pode encontrar na secção de comida étnica no seu hipermercado, ou em lojas especializadas. Este produto vem seco, pelo que para ser edível requer a sua rehidratação. Utilize um pincel de cozinha para “pintar” as duas faces de cada folha de arroz, deixe secar por 1 minuto e estão prontas a ser recheadas. Utilize a água dos mexilhões para um reforço do sabor a marisco do prato.

3.  Complete cada rolo com uma cama de chutney de pêssego, sobre a cal colocará 3-5 mexilhões cozidos. repita para todos os rolos. é ideal que não se concentre muito o recheio no meio do rolo, esticando para os lados de forma a obter um rolo mais fino e largo que alto e concentrado. Isso garantirá uma menor probabilidade de se dsfazerem durante a cozedura. O conteúdo deve também ser colocado não no meio do rolo, mas numa das extremidades, de modo a que consiga dar mais voltas e comprima e segure mais o recheio.

A cama de p~essego e os mexilhões por cima devem ser colocados numa das pontas da folha de arroz, não directamente no meio

4. Para enrolar, começe por esticar bem a ponta mais próxima do recheio, e enrole em dobras que fixem bem e ” selem” o conteúdo do rolo. No fim, acabará com duas abas, uma de cada lado do rolo. Deixe o mesmo secar por uns 30 segundos enquanto completa o próximo, e depois volte ao anterior para dobrar as ditas abas.

bem enrolados, selados e sem espaço para abrires, depois deste processo, esperar 30 segundos e dobrar as abas das pontas para dentro.

5. Coloque um sertã ou frigideira de inox ou cerâmica a lume médio, e adicione ao lume 40-50gr de óleo de côco ou ghee(manteiga clarificada). Deixe apurar por 5-7 minutos, reduza o lume para médio-baixo e adicione os rolinhos com as abas para cima(como destaco na foto abaixo). Isto evita que quando os rodar, as abas colem ao fundo e o rolo se desintegre. Aguarde 3-4 minutos antes de virar os rolos. Pode rodar cada quarto do rolo, ou então só por cima e baixo, se preferir que fique menos crocante e mais húmido. Eu sigo este segundo método.

Os rolos nas bordas já se encontravam virados, os do centro forma colocados neste momento. repare nas abas para cima.

6. Para concluir o prato, com a água que restou da cozedura dos mexilhões, hidrate a folha de alga kelp por 2minutos, e decida por uma apresentação mais floral como a que apresento, ou pode cortar em juliana, temperar com sumo de limão e sal. Finalize com o sumo da laranja por cima dos rolos, e raspe a casa de limão para realçar o sabor do chutney no interior. Adicione uma colher de óleo de palma ao natural, o travo forte e a café servirá como um excelente condimento para molhar os rolos.

Como acompanhamento, seja livre de montar uma salada bem fresca de couve e cenoura fermentadas, ou até mesmo um arroz thai com caril. Eu optei por uma cenoura baby salteada levemente no resto do óleo de côco que restou, onde adicionei um tempero indiano chamado Garam Massala, que fiz em casa misturando várias especiarias e que podem encontrar a receita aqui.

BOM APETITE!

O resultado final, com um toque de óleo de palma para aprimorar o palato

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s